Siga-me!

Pirações de uma pretinha.

quarta-feira, 13 de maio de 2009

Manias

Tenho manias...
Escrever só com lápis de carvão,
Levanto sempre com o pé direito,
Escrevo o que quero esquecer num papel, rasco e queimo.
Escrever algo que não pareça comigo, nem contigo,
Escrever para botar pra fora e exorcizar,
Você não entende...
Só se tem o que se pede, verdade...
Juro que é assim.
Pedi tanta coisa e nem me lembro mais,
Mas elas acontecem, me tiram pedaço, me arranham, me fazem rir,chorar,
Me matam.
Quando o peito me dói, tomo remédio e condenso o choro.
Manias...
Não passo na faixa pisando no branco,
Não saio de casa sem dizer a mim mesma:
-Vá com Deus.
Na falta de vozes converso comigo mesma e finjo
Que é meu Anjo de Guarda quem responde.
Não consigo redigir em máquina de escrever.
Sofro com meu olfato apurado
E com minha visão desfocada,
Eu me olho no espelho como se estivesse diante de câmaras da Globo.
Passo óleo corporal como se fosse dormir com Meu Amor,
Perdi algumas manias.
Adquiri novas.
Fico roendo o canto da boca, tiro cera do ouvido todos os dias de manhã...
Quando me visto pra sair, danço pra ver se a roupa vai combinar.
Manias.
Quero assumir ao mundo que lavo calcinha depois do banho
E que quando acordo,
Penso em mim.
Mania terrível essa de querer matar.
Sem conseguir.

3 comentários:

Alberto disse...

Que ser interessante esse...Não sei porquê, mas lendo esse poema-depoimento recordei-me da canção de Beto Guedes, que diz: "A lição sabemos de cor, só nos resta aprender". Talvez aprenda com essas manias a preservar algumas minhas e jogar fora outras que não quero ou que não servem. É isso...

Fernando Shook disse...

Expor manias , nossa vida !
Continue assim, não importa se não entendam.
Rabisque desejos , queime ...
Matar-se desta forma, faz com que renasça todo dia
bjs

Preta Guerra disse...

Nossa, vocês entenderam exatamente o espírito das coisas! obrigada sempre! bjim