Siga-me!

Pirações de uma pretinha.

sábado, 7 de agosto de 2010

É que hoje acordei com esse sentimento tinindo no peito,
E é justo dizer a você que é mesmo assim.

Vamos nos separar talvez,
Vamos amargar a falta,
O escuro, o vazio e o silêncio.
Podemos até andar por margens longínquas, dizer palavras difíceis ou nada...
Podemos ser tudo, muito, alguma coisa, muita coisa.
Olhar no olhar, falar com ele.
Chorar.
Ser indeciso,
Ser mandão,
Ser egocêntrico,
Ser sério,
Maluco.
Falante, matraqueiro, batucante, saltitante e estranho.

Podemos viver cada um em um buraco,
Do mundo,
Ou do universo... Não sei.
Podemos ser enfermeiro, psicólogo, farmacêutico, advogado, cientista, professor ou criança.
Sem idade ou com idade. E entender tudo.
Podemos ser de discursos, de risadas, de choros, de nojeiras, de sono ou de cachorro quente e suco... Ou de água e violão.
Podemos ser de certa forma, ou da errada...
Das páginas dos livros, dos mesmos livros, da mesma banda, do grupo...
Podemos dizer a mesma coisa ou nada.
Podemos dizer a mesma coisa ou nada...
E com os olhos.
Pensou nisso?


Podemos ser da mesma família, ou da família que se quer coroar.
Podemos ir e voltar durante anos, durante um choro ou um aperto de mão.
Podemos dizer a mesma coisa ou nada.


Mesmo assim, um amigo entende.

2 comentários:

Lord Acton disse...

Nessa vida de ida e vinda, a saudade e amizade são duas coisas indissociáveis. Hoje, mais raro do que nunca, e preservá-los, sim, é um grande presente. Parabéns pelo texto. Descobri o seu blog, encontrando por acaso no seu, através da comunidade de Mayra Andrade. Tentei fazê-la um convite para adicioná-la em meu orkut, mas não consegui. Culpa do orkut..(rsrs)

Rommy disse...

Nós podemos muito, nós podemos mais, vamos lá...Estou publicando alguns escritos no meu blog. Passa lá. Um abraço !